A música que melhor se ouve dentro de casa

Foto: Pedro Emauz

O @FestivalEuFicoEmCasa junta 78 artistas que apelam à população portuguesa que fique em quarentena nas suas casas, de modo a combater a propagação do COVID-19. Assim, em resposta aos vários espetáculos forçadamente cancelados ao longo da última semana, este festival traz ao ecrã de todos uma programação fora do comum.

The Lengendary Tigerman, António Zambujo, Luísa Sobral e Chico da Tina são alguns dos muitos artistas que, a partir das suas próprias casas, enchem a nossa casa de música. Teve início esta terça-feira, às 17h na voz de Bárbara Tinoco, e prolongar-se-á até o próximo 22 de março.

A nossa rotina diária alterou-se e o online tem, agora mais que nunca, uma função de adaptabilidade. O movimento #euficoemcasa já impulsionou várias iniciativas no palco virtual da Internet, em especial os concertos via live-stream. “Que estranho não ter a energia do público para fazer estas parvoíces”, admite Salvador Sobral, enquanto se estende no chão de uma sala caseira, aos cerca de 12 mil espetadores que, no passado sábado, o visualizavam ao vivo através do Facebook. Durante cerca de 1h30, Salvador infiltrou-se nas nossas casas ao lado do guitarrista André Santos, entre interpretações de obras de Zeca Afonso, Sérgio Godinho, Amália Rodrigues e tantos outros.

Assim, Salvador fez-nos companhia numa noite de sábado. Agora, com o projeto do Instagram @FestivalEuFicoEmCasa, contam-se 6 dias de música proporcionados por 78 artistas que, através de transmissões em direto nas suas próprias contas da rede social, protagonizam pequenos concertos de meia hora, das 17h às 23h de cada dia.

“Isto é surreal”, exclama Elsa Rodrigues como que o reflexo dos nossos pensamentos, quando às 18h desta terça-feira nos deixou invadir o seu quarto para ouvirmos a sua voz. Esta cuidada para não acordar o seu pequeno filho, que dormia na divisão ao lado. Ao todo, são 40 horas destas performances “surreais”, íntimas, constrangidas. Tudo com uma mensagem, descrita na página de Instagram do evento: “Mesmo à distância, estamos todos juntos”.