Campanha “solidária” pretende angariar dinheiro para ministra da Cultura

Fonte: Lusa

Foi criado um movimento de solidariedade irónica, onde um grupo de profissionais das artes está a tentar reunir 219 euros para a ministra da Cultura, Graça Fonseca. Este valor não é por acaso, mas sim uma referência ao valor máximo do apoio a trabalhadores independentes por redução de atividade.

“Crendo a Sr. Ministra que viver com menos de 300 euros por mês – falando dos casos de maior apoio – é possível neste país, imaginamos que a Sra. Ministra da Cultura Graça Fonseca esteja a subsistir com muito menos”. Assim explica o texto de apresentação da campanha de angariação de fundos, com o título “Não deixemos a Graça cair na desgraça”, a funcionar na plataforma GoGetFunding. “Preocupados com esta situação, unimos forças e apelamos a que juntem a vossa solidariedade e contribuam para conseguirmos atingir 219,00 euros a serem entregues em mão à Sr. Ministra no dia 25 de maio às 12h00, no Palácio da Ajuda”, continua o texto.

Os promotores desta iniciativa, “um grupo de cerca de dez pessoas que trabalham em arte e cultura”, não quiseram ser identificados quando contactados pela Lusa, mas criticam a abordagem da ministra da Cultura perante os problemas no setor que surgem devido à pandemia. As proposta “resumem-se, até ao momento, a remeter para o Ministério do Trabalho a responsabilidade de solucionar o problema destas pessoas, sendo que a maioria nem sequer é abrangida pelos apoios da Segurança Social devido às especificidades das, já de si escassas, fontes de rendimento”, afirmam.

Estes profissionais que promovem a campanha “Não deixemos a Graça cair na desgraça” apelam a contributos de 1 euro. No texto pode ler-se: “Por favor juntem-se em grupos de dez, o nosso objetivo era que fosse um contributo de 10 cêntimos apenas, mas as plataformas de colecta não o permitem”. O desejo é atingir o valor máximo. No entanto, se tal não acontecer, o grupo entregará à ministra qualquer que seja o valor angariado. Até às 23h desta quinta-feira, a campanha já contava com 108 euros angariados. Para além do dinheiro, a iniciativa pretende entregar também um cabaz de ajuda alimentar, sendo esta uma das formas em que os profissionais do setor se têm entreajudado.