Ministro da saúde holandês proíbe público nos estádios até haver vacina contra a Covid-19

O ministro da saúde holandês, Hugo de Jonge, descartou a hipótese da presença de público nos jogos de futebol, esta quinta-feira. De acordo com o que foi anunciado, a ausência de espetadores nas bancadas durará, pelo menos, até ser encontrada uma vacina contra o novo coronavírus.

Fonte: Smit’s Bouwbedrijf

Este anúncio surge, indo ao encontro da decisão do primeiro-ministro dos Países Baixos. Mark Rutte confirmou, em conferência de imprensa, na quarta-feira, o regresso do futebol profissional, Eredivisie, a partir do dia 1 de setembro. De acordo com O Jogo, apesar de incluir que a atividade seria retomada à porta fechada, o ministro da saúde sublinhou a ausência do público nas bancadas.

Ninguém sabe quanto tempo isto vai levar. Esperamos que em breve, é claro, mas o mais realista é pensar que [só haverá uma vacina para a Covid-19] dentro de um ano ou até mais tarde.

Hugo de Jonge, numa exposição enviada ao Parlamento.

O campeonato holandês, Eredivisie, foi suspenso a oito jornadas do fim. Posteriormente, foi considerado nulo, tendo as promoções e as descidas sido canceladas. Esta decisão, segundo se lê n’ O Jogo, levou as equipas do Cambuur e do De Graafschap, da primeira e segunda posição da II Liga holandesa, a recorrerem a tribunal.

No caso da temporada da liga holandesa que se segue, 2020/21, vai começar com um mês de atraso, obrigando a Federação dos Países Baixos a ajustar o calendário. Portanto, há possibilidade de, entre outras, recorrer às férias de Natal para a realização de jogos.