Promotores de festivais reuniram-se com o governo para debater atividades culturais

Fonte: Nit

Empresários e promotores dos maiores festivais de música foram recebidos esta terça-feira, dia 28 de abril, por António Costa para debater a paralisação da cultura. O debate sobre a retoma das atividades continua, mas todos os eventos só “vão acontecer quando for permitido”.

A reunião contou com a presença das ministras da Saúde, Marta Temido, e da Cultura, Graça Fonseca, juntamente com o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira. No final da reunião Álvaro Covões e Roberta Medina escusaram-se a dar mais detalhes de medidas propostas aos jornalistas. As decisões estão programadas para o final desta semana. 

Álvaro Covões, responsável pelo festival NOS Alive, reconheceu que a abertura da atividade cultural terá de ser “progressiva e em segurança”. Roberta Medina, a organizadora do festival Rock in Rio, agradeceu a abertura do governo para ouvir as preocupações. 

“Uma abertura progressiva”, foram as palavras que a ministra da Cultura expôs aos jornalistas para descrever o início da atividade cultural. Já foram cancelados ou adiados cerca de 27 mil espetáculos. 

“Ouvimos as preocupações de todos os promotores e quais são os grandes desafios que se colocam principalmente este verão pela situação epidemiológica que temos vivido”, disse Graça Fonseca. Referiu ainda que não há condições para acontecerem os festivais de musica e outros eventos culturais de verão.

Vários festivais de música foram já adiados, entre os quais o Rock in Rio Lisboa, o Boom e o Festival Músicas do Mundo, todos para 2021, e o NOS Primavera Sound, transferido de junho para setembro.