Queima das Fitas de Coimbra passa para outubro

Foto: Renascença

A Associação Académica de Coimbra (AAC) e o Conselho de Veteranos da Universidade de Coimbra – Magnum Consilium Veteranorum (MCV) decidiram esta quinta feira, dia 19 de março, adiar a Queima das Fitas (QF) de 2020 para outubro, com data ainda por anunciar. A interrupção da festa académica já não acontece desde a década de 70 e na tomada desta decisão entrou na balança a vontade dos estudantes, mas, acima disso, a adaptação à realidade nacional que vivemos.

O presidente da Direção-Geral da AAC (DG/AAC), Daniel Azenha, diz que a mensagem mais importante que quer transmitir é a de “responsabilidade social”. A prioridade da Academia não é pensar em festividades, mas sim nos estudantes. “A nossa maior responsabilidade é ajudar os colegas a terminar o seu percurso letivo e o seu percurso académico”, exprime o presidente.

Um outro tema que se teve em conta foram os recursos que se gastariam na QF se esta decorresse em maio. Daniel Azenha pede a compreensão dos estudantes neste tempo difícil e confessa que nós “não podemos ser egoístas. Não podemos gastar os recursos dos hospitais, dos bombeiros, da Cruz Vermelha ou da PSP. Estes recursos têm de ser utilizados para outros fins que não a Queima das Fitas”. Em cima da mesa esteve ainda a possibilidade de cancelar por completo o evento académico. Contudo, as questões administrativas, tradicionais, culturais e desportivas tiveram o seu peso e a decisão final foi de adiar a QF para o início do próximo semestre.

Para que esta opção seja viável, a Festa das Latas e Imposição das Insígnias de 2020 teve de ser cancelada. No entanto, existem lados positivos nesta alternativa. A Queima das Fitas vai ter duas novidades. A primeira é a possibilidade de as bancas tradicionais da Festa das Latas estarem no recinto. Isto é, os núcleos e as secções vão ter a oportunidade de estarem representadas nesta QF. A segunda é o cortejo. Este vai tomar o formado do cortejo da Queima das Fitas e vai contar com a participação tanto dos novos estudantes como dos finalistas.

O presidente da DG/AAC assegura que “todo o dinheiro de todas as pessoas que compraram o bilhete para as noites de Parque da QF podem reavê-lo. Inclusive os carros”. Este diz ainda que, na eventualidade de todos os carros desistirem do cortejo, que este dá-se de uma forma “perfeitamente normal”, retomando à sua forma normal de cortejo da Festa das Latas.

Setembro: um pedido dos estudantes

Foto: queimadasfitascoimbra

Muitos estudantes pedem, através dos comentários nas publicações da página do Facebook e do Instagram da AAC, que a QF seja adiada para setembro e não outubro. Isto, pois, muitos dos estudantes, especialmente os que se licenciam este semestre, já não vão residir em Coimbra pelo que estar presente na Queima das Fitas em outubro se torna complicado.

As redes sociais estão a ser usadas como apelo para que a festa académica seja feita antes da época de matrículas do próximo ano letivo. A esta hipótese, o presidente da DG/AAC afirma que “foi considerada, mas seria injusto ser nessas datas”. A ideia é minimizar os dados colaterais que esta mudança de calendário causa. Assim, Daniel Azenha mostra-se solidário com os estudantes de último ano, mas não esquecendo os novos alunos que vão ingressar no ensino superior. “Tivemos de arranjar um equilíbrio que é trabalhar para os finalistas, mas olhar também para os novos colegas”, admite. Esta solução permite que os novos estudantes não sejam prejudicados na sua adaptação à Academia de Coimbra e que os finalistas consigam celebrar o seu final de percurso académico.

Outra razão para que a QF se sobrepusesse à Festa das Latas foi o facto de os estudantes já estarem habituados a ter no seu calendário de outubro uma pausa para a Festa das Latas. O presidente da DG/AAC explica que “se nós temos uma festa e se a Academia de Coimbra está habituada a ter uma festa na primeira semana de outubro, pareceu-nos que esta altura seria a melhor para a Queima das Fitas”.

Outros eventos festivos

Foto: Diocese de Coimbra

Maio não é somente o mês da QF. Existem outros eventos festivos a decorrer na cidade, incluindo a Bênção das Pastas da Universidade de Coimbra. Daniel Azenha afirma que “o que está planeado é que decorram todos os eventos da Queima das Fitas”. Durante os próximos dias tanto o presidente da DG/AAC como o administrador da Académica, os responsáveis da tesouraria da QF e o dux veteranorum vão-se reunir de modo a arranjar a melhor solução.

O objetivo é olhar para todas as atividades e analisar uma a uma de forma a entender quais é que podem ser adiáveis ou não e também quais é que são dispensáveis. Está em discussão um novo plano e também um novo orçamento. Isto, pois, a área financeira é também algo que preocupa o presidente da DG/AAC. “Temos muitos pressupostos financeiros, temos funcionários, temos estruturas que não têm propriamente uma solidez financeira”, admite. Para que não tenha de ser necessário hipotecar o futuro da Academia, todos os gastos associados com a Queima das Fitas vão ter de ser repensados e estudados.