Serenata Monumental: Este ano canta-se a Coimbra a partir de casa

Fonte: pdr.marcelino

Hoje, a cidade de Coimbra transformar-se-ia num manto negro e os finalistas abanariam as fitas ao som da sua última Serenata Monumental. Devido ao novo coronavírus, a festa dos estudantes foi adiada para Outubro, porém, a Comissão Organizadora Da Queima Das Fitas (COQF) não quis deixar a ocasião passar em branco.

“Realizar-se-á na data em que estava prevista acontecer, mas de forma simbólica”, afirma o secretário-geral da Queima das Fitas (QF), Leandro Marques, em entrevista à Agência Lusa. A transmissão será feita a partir da Via Latina, no Paço das Escolas, contrariamente ao que acontece noutros anos. O presidente da Secção de Fado da Associação Académica de Coimbra (SF/AAC), Emanuel Nogueira, explica a escolha do novo local por questões de segurança.

A COQF fez ainda uma publicação na rede social Instagram, onde apela para que não se façam aglomerações à Porta Férrea.

O alinhamento de músicas já foi revelado e o presidente da SF/AAC confessa que teve em conta a visibilidade, ainda maior, que esta Serenata Monumental irá atingir. As vozes estão a cargo do grupo “Capas ao Luar” pertencente à SF/AAC.

Apesar de não ser possível o distanciamento entre músicos, Emanuel Nogueira garante que apenas estarão presentes as pessoas “estritamente necessárias para que [a Serenata Monumental] aconteça”. O presidente da Televisão da Associação Académica de Coimbra (tvAAC), António Cerca, explica que, dentro de condições adversas, a montagem dos equipamentos será facilitada.

Leandro Marques, em entrevista à Lusa, frisa o simbolismo deste evento por ser “um momento marcante” quer para “o caloiro, quer para o finalista que sai”. O presidente da SF/AAC relembra o valor da Canção de Coimbra e reitera que esta não deve ser esquecida. “Temos a sorte de ser a única universidade no mundo com um género musical próprio e isso é algo que temos de valorizar”, acrescenta.

O evento tem início à meia noite com transmissão assegurada em direto pela tvAAC e pela Rádio Universidade de Coimbra.